Aprendendo com diferentes culturas no ambiente do trabalho

Tempo de leitura: 5 minutos

Eu sou Ednamara Dias, consultora, psicopedagoga e especialista em coordenação pedagógica, com graduação em Matemática. Atuo na área de RH há mais de 21 anos. Minha experiência teve grande foco foi em trabalhos institucionais de RH e SMS com foco em Gestão de Expatriados, Gestão Estratégica, Controles, Projetos de Desenvolvimento e treinamentos comportamentais, Redesenho de Processos, Auditoria trabalhista, Projetos de Engajamento e Gestão de Mudanças.

Moro no Brasil com sólida experiência em empresas multinacionais do setor de óleo e gás, onde tive  oportunidade de trabalhar com diversas nacionalidades, dentre elas, os americanos.

Neste artigo, estarei compartilhando algumas de minhas experiências com estrangeiros e trazendo um pouco da diversidade cultural existente entre Brasil e EUA.

Mercado do Brasil incerto, pensando em mudanças? Pensando nos EUA? Pois bem, vamos falar sobre algumas questões que envolvem o trabalho e “de quebra” informações que possam lhe ajudar a ponderar se valeria ou não a pena trabalhar na América. Cada um pesará os prós e os contras.

photo-montage-556806_1920

Trabalhei alguns anos da minha vida com diversas nacionalidades, mas os grandes campeões foram os americanos, com certeza trabalhei muitas vezes com esta nacionalidade, me permitindo falar um pouco sobre essa experiência.

Antes de mais nada vamos abordar o ambiente que mais interessa, o trabalho. Vamos imaginar que você é amigo de um americano e ele também é seu chefe.

Neste cenário, saiba que um americano não terá melindres em chamar a atenção de um amigo no trabalho. Se algo foi mal feito, ele vai falar claramente que não foi bem feito, chamará a atenção se achar que houve corpo mole, pedindo claramente mais atenção. Mas, na hora do almoço te chamará para almoçar, como se não tivesse ocorrido nada. Isso ocorre por quê?

Normalmente, americanos não misturam trabalho com vida pessoal ou amizade. Culturalmente falando, é como se existisse uma divisão bem clara: “Trabalho é trabalho, amizade é amizade”.

Quais são as vantagens deste tipo de comportamento? Você pode fazer negócios ou trabalhar com alguém sem ter necessariamente um vínculo prévio, e vocês poderão ainda se dar muito bem nos negócios…

Normalmente,  trabalhar com um americano requer saber encontrar as soluções, às vezes, muito práticas, práticas até demais para um brasileiro “da gema”. Já me deparei diversas vezes com um problema, ao conversar com um americano sobre o problema “tal”, ele tinha a solução mais prática do mundo… Daí, vinha a minha famosa frase, “é uma boa ideia, mas não podemos seguir assim devido a nossa legislação brasileira …”.

Pois é, diversas vezes me questionei sobre estas tais simplicidades, mas com o tempo fui aprendendo que o regime legal dos EUA é deveras mais simples do que o nosso. Então, se está procurando um lugar onde as questões legais são mais claras e simples, com certeza a terra do “Tio SAM” é um destes lugares.

Esta praticidade, normalmente faz com que os americanos sejam objetivos, que vão diretamente ao assunto e atendam a seu compromisso como agendado.

Marcou uma reunião para 1 p.m.? Se você chegar 1:05 p.m. já estará atrasado. Para um brasileiro parece até conto, mas é verdade, isso ocorre mesmo! Normalmente, os americanos são pontuais e não entendem porque os brasileiros em geral não o são.

Acha que acabou? Ainda tem mais: A reunião foi agendada para durar 1 hora, com um americano, ela tenderá a ser objetiva e de fato vai demorar 1 hora, como agendado. Quem não gosta de participar de uma reunião objetiva, que vá direto a assunto e que dure o tempo que foi programado?

Não estou aqui para dizer que tudo são flores, mas há coisas boas que precisam ser consideradas e compartilhadas!

Então, já pensou que precisamos de uma autoanálise, para aproveitar o momento que vivemos e mudar? Alguns decidirão fazer as malas, e você?

Para quem fica, a inteligência emocional está aí para isso e pode nos ajudar! É algo prático que utiliza a nossa biologia a nosso favor, basta conhecer.  Promulgar a mudança mexe com a inteligência emocional dos profissionais e da organização.

Você já pensou em estimular comportamentos mais disciplinados na empresa que você trabalha? Incentivar atitudes profissionais, acima de qualquer outra coisa? Uma das melhores maneiras de se fazer isso é compartilhando experiências através de cases reais, se referenciando em fatores culturais, e com isso poderemos também mudar nosso quintal.

Quem quer transformar um limão em uma limonada bem gelada e gostosa?

Quem estiver pensando pode me procurar, estou à disposição.

 

Esta entrada foi publicada em . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *